HISTÓRICO
Visitantes durante a Fenachim
Parque do Chimarrão
Desfile no centro da cidade
Diversidade nas atrações
Público diversificado na festa
Shows agitam as noites

A Festa Nacional do Chimarrão (Fenachim), quando idealizada no início dos anos 80, pretendia se projetar para muito além da pequena, porém não menos importante, Festa Municipal do Chimarrão, instituída pela lei municipal 666, de 6 de maio de 1970. É que naquela época se pretendia realizar o evento de quatro em quatro anos. Porém, apenas duas edições ocorreram: em 1971 e 1976.

Dez anos depois, surgiu a Festa Nacional do Chimarrão. Uma ideia do então prefeito Almedo Dettenborn e do secretário de Turismo, Ari Vieira Marques, que sugeriu a construção de um Parque para abrigar o evento. A área de 13 hectares, no Acesso Imperatriz Dona Leopoldina, foi adquirida em 1984. Logo em seguida, mais dois hectares foram anexados. A 1ª Fenachim aconteceu em 1986. Jader Ribeiro Rosa foi o presidente e contou com o assessoramento da Sebratur, empresa catarinense especializada em grandes eventos. Os destaques foram a inauguração do pórtico de entrada do Parque e as apresentações nativistas. Na segunda festa, Venâncio Aires ganhou o seu pórtico.

A 3ª Fenachim marcou a comemoração do centenário de Venâncio Aires, em 1991. Foi nesta edição que entrou em cena o mascote Venancito. Além disso, o Parque ganhou mais dois hectares, totalizando 17.

Na sexta edição, a Fenachim ganhou o slogan ‘Uma festa com o sabor do Rio Grande’. No evento seguinte, o parque passou por mais uma remodelação. A Mostra Cultural, em sua terceira edição, ganhou a mesma projeção da 8º Fenachim. A organização aconteceu por meio da Associação das Entidades da Comunidade (Assecom), criada especialmente para a festa.

A 9ª Fenachim foi realizada após um intervalo de três anos, com organização da Associação Tradicionalista de Venâncio Aires (ATVA) e da Câmara do Comércio, Indústria e Serviços (Caciva). Na 10ª edição da festa, o Parque ganhou uma pista de kart, tornando o esporte uma das atrações com maior expectativa na programação.

A 11ª Fenachim contou com um Chimarródromo. No local, os visitantes encontravam a bebida símbolo da festa e tinham a oportunidade de aprender a fazer os mais variados tipos da bebida típica do Rio Grande do Sul, através da Escola do Chimarrão.

Na 12ª Fenachim, o Chimarródromo foi mais uma vez lugar de destaque e ganhou novos redutos, em madeira rústica, pelo Parque Municipal. Os shows nacionais de Michel Teló, Gustavo Lima, Sorriso Maroto e Sambô foram as principais atrações. Nesta edição aconteceu também o primeiro encontro das soberanas do RS e inauguração da pista de skate.

Já a13ª Fenachim foi marcada pela acessibilidade ao parque durante a semana, quando ou não havia cobrança de ingressos, ou os mesmos eram comercializados a valores simbólicos. O pórtico localizado ao lado do ginásio poliesportivo também foi um diferencial da festa, com uma proposta moderna, trás um charme contemporâneo, aliado a todo o tradicionalismo que o Parque do Chimarrão exala.

PATROCÍNIO